top of page

Consumo animal na alimentação de vacas leiteiras

O estresse por calor em rebanhos leiteiros pode se tornar um problema muito sério dentro da fazenda.

A produção de leite pode cair mais de 20% em litros, além dos sólidos do leite (gorduras e proteínas) também sofrerem redução.

A eficiência reprodutiva diminui, o que é drástico para uma fazenda de leite, e os distúrbios metabólicos causados podem ser fatais.

 

QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS ALIMENTARES PARA VACAS SOB ESTRESSE TÉRMICO NO CALOR?

 

PROBLEMA: O consumo de matéria seca pode diminuir de 10% a 30% devido ao incremento de calor relacionado à digestão do alimento.

 

SOLUÇÃO: Use a estratégia que for preciso para manter o consumo de matéria seca. Melhore o manejo da pista de alimentação. Experimente adicionar aditivos alimentares como: tamponantes, niacina protegida da degradação ruminal, produtos imuno estimulantes ou leveduras.

 

É aconselhável consultar um especialista em instalações para obter recomendações recentes sobre como reduzir o estresse por calor por meio das instalações: sombra, aspersão, circulação de ar e resfriamento das vacas.

 

PROBLEMA: O fluxo sanguíneo é reduzido para o trato digestivo à medida que as vacas tentam dissipar o calor.

 

SOLUÇÃO: A digestibilidade dos alimentos pode ser aumentada usando-se alimentos de alta qualidade (premix).

 

PROBLEMA: As vacas se alimentam durante os horários mais frescos do dia, resultando em padrões de ingestão variáveis.

 

SOLUÇÃO: É interessante realizar o pastejo noturno (quando viável) ou fornecer mais TMR (mistura de todos os ingredientes da dieta dos animais em uma única ração, balanceada de acordo com as necessidades nutricionais de cada lote) à noite.

  

PROBLEMA: o calor é gerado internamente quando o alimento é digerido. O incremento de calor aumenta e adiciona calor para a vaca dissipar.

 

SOLUÇÃO: forneça forragens de alto valor nutritivo, fontes de energia mais digeríveis e palatáveis, gordura suplementar para reduzir o calor associado à digestão.

 

PROBLEMA: evite a fermentação secundária na pista de alimentação.

 

SOLUÇÃO: forneça sombra sobre a pista de alimentação. Inclua silagem de milho na dieta para reduzir o pH e diminuir o aquecimento. O uso de inibidores de fungos pode ser uma boa alternativa, como um aditivo à base de ácido propiônico.

 

Forneça o alimento à noite e adicione água às dietas secas para aumentar o consumo. A adição de água dilui os ácidos da silagem e causa rápido aquecimento secundário da ração.

 

PROBLEMA: a acidose ruminal é um risco devido à mudança nos padrões de alimentação.

 

SOLUÇÃO: mantenha os horários de trato constantes (rotina), atenda aos níveis mínimos de fibra química e efetiva, evite o fornecimento de mais de 2,3kg de matéria seca de ração por refeição e evite que as vacas selecionem a dieta (utilizando a ração).

 

PROBLEMA: adicione a gordura como fonte de energia com cuidado.

 

SOLUÇÃO: as sementes oleaginosas (soja e caroço de algodão) podem aumentar a quantidade de ácidos graxos insaturados, reduzindo a digestibilidade da fibra. As gorduras inertes reduzem o risco de efeitos negativos no rúmen.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page